Connect with us

Colunistas

Setembro amarelo e a prevenção ao suicídio

Nós precisamos falar sobre isso

Com o objetivo de falar abertamente sobre doenças e outras questões sociais, foram criadas campanhas nacionais de conscientização. Exemplos famosos são o agosto lilás (contra a violência doméstica), o outubro rosa (contra o câncer de mama) e o novembro azul (contra o câncer de próstata).

 Temos ainda o setembro amarelo (contra o suicídio), o texto de hoje busca ajudar nessa conscientização, falando sobre esse tema, que por ser tão indigesto, acaba por não ser debatido com a importância e a frequência que deveria. Não temos o intuito de esgotar o assunto, tratasse de um tema delicado e complexo, a nossa ideia é abordar ângulos diversos, mas que possam auxiliar na reflexão de cada leitor e que permitam quebrar os estigmas e preconceitos envolvidos na questão.

Dois grupos de pessoas.

Em primeiro lugar precisamos entender que temos dois grupos de pessoas que buscam essa saída, aquele composto por pessoas que querem de fato morrer e aquele composto por pessoas que querem sair de uma situação de dor e sofrimento, e que não sabem como o fazer, para esse grupo, o que chama a atenção não é a ideia da morte, mas a ideia de acabar com a situação que está sendo vivenciada. É comum, que pessoas que sobrevivam a tentativa de suicídio relatem que se arrependeram na hora do ato, ou ainda relatem que estão felizes que a tentativa tenha sido frustrada, por agora terem clareza de que não queriam a morte, mas somente uma solução para o que estava sendo vivido.

Não é sobre ser fraco, mas sobre estar desesperado.

Em nenhum caso, sob nenhuma hipótese, temos o direito de achar que a pessoa em questão está fazendo graça, ou querendo chamar a atenção. O suicídio não é sobre ser fraco, mas sobre estar desesperado.

Autoconhecimento e auto aceitação em uma sociedade que cobra alegria e felicidade.

Quem chega a esse extremo, na esmagadora maioria das vezes, já demonstrou muitos outros comportamentos de tristeza, desanimo, desilusão etc. São pessoas que podem não estar conseguindo se conectar consigo mesmas, de modo a não conseguirem encontrar os mecanismos necessários para melhorar. Em uma sociedade como a que vivemos, que cobra #felicidade e #gratidão o tempo todo, admitir que se tem um problema, sofrer publicamente por alguma frustração e falar abertamente sobre tudo isso quase é considerado crime. Isso faz com que muitos sofram em silêncio ou que nem ao menos saibam que estão sofrendo, a pessoa simplesmente se sente cansada o tempo todo, por exemplo. O que não quer dizer que o problema não estava lá o tempo todo, ele estava sim, crescendo e ganhando força. O processo de autoconhecimento é um caminho difícil, uma jornada assustadora para a qual precisamos de paciência e tolerância, nem todos estão preparados para se oferecer isso.

Doenças mentais e outros fatores.

Dados da OMS indicam que 90 % das pessoas que se mataram tinham alguma doença mental, isso não quer dizer que todo mundo que tem alguma doença mental irá praticar/tentar o suicídio, mas nos mostra que quadros clínicos dessa natureza servem para que uma luz vermelha seja acionada. Nesse contexto, a depressão ganha destaque estando presente em cerca de 30% dos casos. Fatores econômicos, sociais, culturais, religiosos e genéticos precisam ser levados em consideração, pois influenciam a ação do indivíduo e o modo como ele lida com o tema.

Suicídio no Direito Brasileiro.

Art. 122 – Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:

Pena – reclusão, de dois a seis anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.

Parágrafo único – A pena é duplicada:

Aumento de pena

– se o crime é praticado por motivo egoístico;

II – se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.

Infanticídio

 

Centro de Valorização da Vida (CVV).

Criado em 1962 na cidade de São Paulo, o Centro de Valorização da Vida logo se expandiu pelo país. O programa tem a intenção de propiciar um ambiente acolhedor e seguro para quem deseja conversar sobre os problemas que está enfrentando e sobre os meios de resolvê-los. A conversa pode ser por chat, ligação, e-mail e pessoalmente em algumas cidades.  

O endereço para contato na internet é: https://www.cvv.org.br/ .

O número para ligação é 188.

A importância do diálogo.

Se você conhece alguém que pode estar passando por uma situação difícil, não deixe de conversar e demonstrar que se importa. O amor, o diálogo franco e o respeito são armas poderosas na prevenção do suicídio. A responsabilidade sobre o ato é somente de quem o pratica, mas a responsabilidade por acolher ao outro nas dificuldades do cotidiano, com gentileza e carinho é de todos nós.

Deixe seu comentário

Publicidade

Blog do Alexandre

Panorama Político – 02/08

Emenda
O vereador Chandelly Protetor deve apresentar uma emenda ao novo regimento da Câmara de Votuporanga que deve entrar em votação nas próximas semanas. Esta emenda sugere que não aconteça a apresentação de voto de congratulações em ano de eleições municipais.

Justificativa
“Em razão do número excessivo de homenagens, através de Votos de Congratulações estarem gerando diversas críticas pelos nossos cidadãos, inclusive nas redes sociais, entendendo ser necessário que essas possam ser limitadas” afirmou o vereador em sua justificativa.

Não para por aí
Não satisfeito, o vereador vai além, ele vai propor outra emenda no mesmo sentido, mas limitando as homenagens de Título de Cidadão e Insígnias de Honra ao Mérito por vereador. Chandelly quer que os vereadores possam apresentar somente duas homenagens por Legislatura.

Apoio
Nos bastidores, as duas emendas estão ganhando apoio de outros vereadores.

Abuso
Alguns vereadores abusam das homenagens, isso é evidente. Tem vereador em Votuporanga que tem até apelido sobre isso e não sabe.

Estratégia “eleitoreira”
As homenagens é uma ótima e eficiente “manobra eleitoreira”. Na terra dos mais humildes, homenagens podem significar mais votos nas próximas eleições. Os parentes e amigos do homenageado, tocados pelo ato honroso do nobre edil, podem “retribuir” o gesto com seu votinho, como diz o ditado: plantar para colher, quanto mais plantar, maior será a colheita.

Olhos abertos
Fiquemos de olhos abertos para a reação de alguns vereadores nos próximos dias quando essa notícia espalhar.

Outra emenda
Vou sugerir para o vereador Chandelly fazer mais uma emenda: proibindo os vereadores de cobrarem na justiça comum 13º e férias de legislaturas passadas. Só em Votuporanga, dois vereadores, segundo eles dentro da lei, requereram os direitos. Pode ser legal, mas é imoral. Estes imorais, são seres repugnantes da velha política, são como graxa, grudam na gestão pública e nunca mais saem. Enriquecem, privilegiam os amigos mais próximos e dão risada da cara do povo.

Deixe seu comentário

Continue Lendo

Blog do Alexandre

Panorama Político – 31/07

Foragido
O presidente do Grupo Petrópolis, alvo da 62ª fase da Operação Lava Jato, Walter Faria, está foragido. Conforme a Polícia Federal (PF), o empresário deixou a residência pouco tempo antes da chegada dos policiais, na manhã desta quarta-feira (31).

Operação
Batizada de Rock City, a fase da operação mira o pagamento de propinas disfarçadas de doações eleitorais e operações de lavagem de dinheiro feitas pelo Grupo Petrópolis, da marca de cerveja Crystal.

Propina
O Grupo Petrópolis, conforme as investigações, teria auxiliado a Odebrecht a pagar propina por meio da troca de reais no Brasil por dólares em contas no exterior. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), as irregularidades são investigadas desde 2016, quando uma planilha com nomes de políticos e referência à cerveja Itaipava foi achada na casa do executivo da construtora Odebrecht Benedicto Junior.

Doações
Vários candidatos da região receberam doações da Odebrecht nas eleições passadas, seu eu começar a dar nome aos bois, vocês vão ficar espantados. Por enquanto, estou fazendo o levantamento e em breve vou divulgar aqui. O material público é vasto, não tem como esconder.

Documentos
Em setembro de 2017, Faria entregou à Polícia Federal planilhas com informações sobre repasses da empresa a políticos a pedido da Odebrecht. De acordo com os documentos, 255 doações foram realizadas somente nas campanhas de 2010 e de 2012, somando mais de R$ 68 milhões.

Desfile Cívico
Votuporanga terá o desfile cívico pelo terceiro ano consecutivo. Os dois últimos anos a Folha Regional esteve presente fazendo a transmissão e acompanhando este momento festivo da cidade, este ano não será diferente.

Agosto de Deus
Por que agosto tem má fama? A fama de mês agourento cresceu no século 20, graças a acontecimentos como o suicídio de Getulio Vargas, (24/8/1954), e a renúncia de Jânio Quadros (25/8/1961).  Mas a má fama de agosto não é exclusividade da cultura lusobrasileira. Os romanos, no século 1, acreditavam que um dragão passeava pelo céu noturno em agosto (mês, aliás, batizado por eles em homenagem ao imperador Augusto). O monstro nada mais era do que a constelação de Leão, mais visível nessa época do ano.

Natal
Faltam exatamento 147 dias para o Natal e 154 dias para o ano novo, mas calma, o ano de agosto só está começando. 

Deixe seu comentário

Continue Lendo

Blog do Alexandre

Panorama Político – 29/07

Fervilhando
Os bastidores da política votuporanguense estão fervilhando com os últimos acontecimentos. Chegou ao ouvido deste colunista uma insatisfação de um grupo de vereadores com o presidente da Casa, Meidão (PSD).

Fonte
Segundo essa fonte, medidas estariam sendo preparadas por estes vereadores e que eles poderiam acionar o jurídico da Casa de Leis. Qual insatisfação seria essa? Talvez as próximas colunas respondam isso.

Função do presidente da Câmara
O presidente da Câmara Municipal integra a Mesa Diretora e a preside. Ele é o representante legal da Câmara, tanto nas relações externas, como nos trabalhos internos, desempenhando as funções Legislativa, de Direção, de Administração e, principalmente a função Representativa.

Representante
O presidente possui não só a prerrogativa, como o dever legal de atuar em nome da Câmara, especialmente nas atividades externas (relações que a Câmara mantém, por exemplo, com o Prefeito).

Função Legislativa
O presidente da Câmara exerce a função Legislativa quando atua orientando a elaboração das leis, seja dirigindo os trabalhos da casa, presidindo o Plenário, seja dando voto de desempate nas deliberações. Ao presidente cabe a tarefa de promulgação das Leis, Decretos Legislativos, Resoluções, nos termos da Lei Orgânica Municipal e do Regimento Interno da Câmara.

Função Administrativa
É a que o presidente exerce no sentido de imprimir organização aos serviços da Câmara. São também Funções Administrativas todas aquelas que se relacionam com a expedição de Atos Executivos que devem ser praticados pelo próprio Legislativo. Outra importante atividade do presidente da Câmara Municipal é a de dar posse ao prefeito, vice-prefeito e vereadores que assumem o mandato no decorrer de uma legislatura, podendo declarar vaga ou extinção, quando o caso.

Deixe seu comentário

Continue Lendo

POPULARES