Secretaria de Direitos Humanos avança ainda mais para atender população

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos avança mais uma vez para atender de maneira digna e respeitosa todos que procurarem pelos seus inúmeros serviços.Nesta semana, algumas mudanças foram feitas para que a recepção da pasta obtenha todas as informações necessárias dos atendidos para passar para os atendentes internos que buscarão resolver as solicitações.

Na ficha de cadastro, como é de praxe, é preenchido o nome de registro. Agora, caso desejar, é registrado também o nome o social (como a pessoa prefere ser chamada). Em seguida, é perguntada a identidade de gênero (cisgênero, travesti, mulher transexual, homem transexual ou intersexual); e a orientação sexual (gay, lésbica, bissexual ou pansexual). O objetivo da inclusão destas informações na ficha de cadastro é para que haja uma maior humanização e valorização para o público LGBT.

Outro tema inserido nas fichas de cadastro é sobre a raça/etnia dos atendidos. São solicitadas as opções branca, negra, indígena e outros.

Os deficientes físicos também foram inclusos no novo cadastro. É questionado se o atendido tem alguma deficiência, seja física, intelectual ou mental. Em casos afirmativos, é solicitado especificar.

O secretário Emerson Pereira explica que o objetivo destas informações visa tornar os atendimentos mais ágeis, além de ajudar na estatística geral interna da pasta. “Com estes dados, fica mais fácil também sabermos qual o perfil dos nossos atendidos, conhecê-los e lutar por políticas públicas que visem melhorar a qualidade de vida”, destacou.

Capacitação

Na tarde da última quinta-feira (27/7), a equipe da Secretaria de Direitos Humanos participou de uma capacitação para melhorar ainda mais o atendimento ao público LGBT.

Representando a Rede Família Stronger e Associação Liberdade de Amar, Luiz Fernando Prado Uchoa, que também ministrou palestra na Semana da Diversidade, conheceu todo trabalho e políticas públicas realizados pela secretaria.

Uchoa obteve informações também sobre o projeto Votuporanga em Ação 2, onde são oferecidas vagas emergenciais de emprego para que o público LGBT, assim como também para pessoas em situação de rua, deficientes físicos, ex-presidiários, dependentes químicos e outros perfis em vulnerabilidade social.

“Reinserí-los novamente no mercado de trabalho é resgatar a cidadania, ampliar horizontes, oferecer oportunidades e desempenhar papel importante em suas vidas. Vejo que Votuporanga está muito avançada por ter uma secretaria que foca o atendimento ao público LGBT”, falou.

O secretário Emerson Pereira avaliou como positiva a visita de Luiz Fenando, agradecendo a organização da Semana da Diversidade por ceder o palestrante para a capacitação.Na noite de quinta, Emerson esteve prestigiando o evento, realizado no Centro de Convenções “Jornalista Nelson Camargo”.

Similar Posts

%d bloggers like this: