São Paulo registra uma média de 23 desaparecidos a cada dia | Folha Regional
Ligue-se a nós

Especial Folha

São Paulo registra uma média de 23 desaparecidos a cada dia

O Portal  inicia nesta segunda-feira uma série com a publicação de casos de desaparecidos para tentar ajudar na localização dessas pessoas

O desaparecimento de um familiar provoca sentimentos piores até mesmo do que a morte. A definição é de Ivanise Esperidião da Silva Santos, que tem uma filha desaparecida desde 1995 e ajudou a criar a Associação Mães da Sé, que auxilia famílias nesta situação.

“Quando você enterra um filho, você vive o luto. Nós, no entanto, não enterramos. Nós vivemos a dor da incerteza. Não sabemos o que aconteceu com eles e isso é pior”, afirma Ivanise.

Em São Paulo, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP) registrou no primeiro semestre deste ano 4.168 ocorrências de desaparecidos e 5.135 de encontro de pessoas, uma média de 23 desaparecimentos a cada dia.

PUBLICIDADE

Nos últimos anos, dados da SSP mostram uma queda no número de desaparecidos e também de encontros. Em 2015, 8.849 pessoas desapareceram, contra 26.612 encontros. No ano seguinte, 7.259 casos de desaparecimento contra 23.832 encontradas. Em 2017, 7.099 sumiços e 11.733 achados. No último ano, 6.839 ausentes e 12.776 reencontros.

O Portal  inicia nesta segunda-feira uma série de reportagens em que expõe casos de desaparecidos, a fim de cumprir a função social do jornalismo e contribuir com a sociedade. Conheça, a seguir, o primeiro caso da série, o de Cleberton Felipe de Souza Gonçalves:

O jovem, de 24 anos, mora há dois anos em Santa Cruz das Palmeiras, município a 250 km da capital paulista. “Foi para trabalhar na lavoura”, conta a mãe Acione Souza Rabelo, que é estudante. “Ele estava tentando uma vida melhor, com mais oportunidade. Conseguiu o trabalho e estava bem”, diz.

Acione conversava todos os dias com o filho. Em algumas vezes, o papo se desenrolava por uma chamada em vídeo, para “poder matar um pouco a saudade”. A rotina, no entanto, se encerrou no dia 20 de junho deste ano. “Ele me mandou um áudio dizendo que estava com febre e gripado, consequência do clima, mas que estava bem e perguntou como nós estávamos”, recorda sobre a última vez que conversou com o filho. “Depois nunca mais ouvi a voz dele. Nem o rostinho”, diz, com a voz embargada.

Moradora de São Miguel do Guamá, no Pará, Acione viu suas mãos ficarem atadas. “Eu não consegui ir até a cidade onde ele morava para procurá-lo, porque eu não tenho condição”, conta a estudante, que registrou boletim de ocorrência de desaparecimento de seu filho nas polícias paraense e paulista. Até agora, nenhuma resposta.

“O homem que deu trabalho para ele disse que a última vez em que viu o Cleberton ele estava com escoriações, braço quebrado e sobrancelha raspadas. Eu só quero ver o meu filho. Quero olhar para ele e ver se está bem. Estou em angustia eterna”, diz.

PUBLICIDADE

Quem tiver qualquer informação sobre o paradeiro de Cleberton Gonçalves deve entrar em contato com a associação Mães de Maio, pelo telefone (11) 3337-3331.

Caso note estranheza na situação de um familiar, saiba que não é preciso esperar 24 horas para realizar o boletim de desaparecimento – você pode ir imediatamente em qualquer delegacia.

A mãe que ajuda a achar os filhos dos outros

Ivanise Esperidião da Silva Santos, da Mães da Sé
EPITÁCIO PESSOA / ESTADÃO CONTEÚDO

Diabetes, infartos, depressão, paradas cardíacas e stent são problemas que Ivanise Esperidião da Silva Santos conhece bem. Mais precisamente a partir do dia 23 de dezembro de 1995, data que viu, pela última vez, sua filha Fabiana.

À noite daquele dia, a adolescente saiu para ir a casa de uma amiga a fim de parabenizá-la pelo aniversário, a poucos metros de sua residência, em Pirituba, na zona norte de São Paulo. Não demorou muito para Ivanise tomar conhecimento de que sua pequena, aos 13 anos, não voltaria para casa. “Eu fiquei desesperada, porque a minha filha sempre teve bom comportamento. Ela tinha me dito que ia dar um abraço na colega e ia voltar para casa, mas nunca voltou”, lembra.

Desde então, as buscas, sob seu comando, continuam. Mas a força motora que a moveu, agora move milhares. Foi a partir do desaparecimento de sua filha que Ivanise se juntou a outras mães que também tiveram seus filhos desaparecidos para lutarem juntas contra o sumiço de entes queridos.

Desde 1995, as mães se reúnem, quinzenalmente, nas escadarias da Catedral da Sé, no centro da capital paulista – daí o nome, Mães da Sé, uma associação com mais de 5 mil mulheres que visa além da busca daquele que não está mais presente, mas também o ombro, amor e força. “Somos emanadas pela mesma dor, pelo mesmo objetivo, pela mesma resposta – seja ela positiva ou negativa”, resume.

A associação Mães da Sé encontrou, desde sua fundação, 4.952 pessoas que estavam na condição de desaparecidos. “Traz alegria, traz força e traz amor. É isso que nos move. Por isso, não desistimos”, diz.

Fonte: R7

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Publicidade

Especial Folha

Arte em casa: como acertar ao colocar quadros na parede

Quando decidimos enfrentar a complicada tarefa de vestir as paredes, muitas vezes temos as mesmas dúvidas. A que altura devo pendurar os quadros na parede e como devo agrupá-los?

Para terminar de decorar a casa, sempre é necessário enfrentar a difícil tarefa de escolher e dispor corretamente os quadros, obras de arte ou coleções de gravuras ou fotos. Colocar quadros na parede é uma arte que dará um toque de design profissional para a sua casa.

Alguns espaços requerem um tratamento diferente quando começamos a colocar quadros na parede. Os cômodos modernos têm paredes grandes que parecem impossíveis de preencher. Ou, pelo contrário, às vezes temos uma bela coleção de pequenas gravuras que não sabemos como organizar corretamente na parede.

Como saber em que altura os colocar? Onde eles ficam melhor? Você deve colocar apenas um ou vários deles na mesma parede?

PUBLICIDADE

Com essas ideias e dicas, será muito mais fácil realizar essa tarefa. Seus quadros e coleções ficarão perfeitos e darão consistência ao espaço, bem como sentimento e uma boa dose da sua própria personalidade.

Dando vida à sua casa colocando quadros na parede

As obras de arte, sejam elas grandes ou pequenas, assim como os quadros e gravuras, são grandes aliados da decoração. Nossa dica é não se deixar intimidar pelo tamanho da parede. Pense, em primeiro lugar, que essas serão imagens que você verá constantemente, por isso é melhor que você escolha peças que despertem as suas emoções.

Ao mesmo tempo, temos que avaliar o tamanho da parede a que queremos dar vida. Se a parede for pequena, é melhor optar por peças também pequenas ou médias. Dessa forma, não a sobrecarregaremos.

Se, ao contrário, você tem uma parede grande, poderá escolher colocar quadros de grandes dimensões sem problemas, ou então optar por vários quadros de tamanho médio.

Os quadros são elementos decorativos que servem para todos os cômodos da casa. Os corredores, os quartos, as salas de estar, as cozinhas e os banheiros… Todos se beneficiarão do toque pessoal e do charme que as fotos ou quadros trazem. Porém, escolha-os de acordo com o espaço que eles irão preencher para que o tema não destoe da função de cada cômodo.

Arte em casa: altura correta para colocar quadros na parede

Esta é uma das chaves mais importantes quando falamos sobre colocar quadros na parede. A regra geral é colocá-los na altura dos olhos, embora essa regra tenha muitas variações, dependendo do tamanho do quadro e da parede, bem como do efeito que queremos alcançar com a composição.

PUBLICIDADE

Há uma regra no design de interiores em relação à altura na qual quadros ou fotografias devem ser colocados na parede que nunca falha: eles devem estar mais próximos do móvel que estiver abaixo deles do que a sua distância até o teto. Caso contrário, os quadros parecerão fora do lugar.

Como podemos distribuí-los?

Esta é outra questão na qual um erro pode arruinar completamente a estética do cômodo. É aconselhável não se precipitar ao colocar quadros na parede antes de ter certeza da distribuição final dos móveis. Qualquer alteração na localização de um móvel pode colocar a composição de quadros escolhida a perder.

Seja qual for a composição final escolhida, o resultado será harmonioso e equilibrado se pudermos imaginar uma linha que cruze os quadros no meio.

A partir dessa linha, os quadros devem estar a uma altura média do chão. Esse é o sinal pelo qual saberemos se a composição foi bem montada.

Paredes com um único quadro

Nas paredes onde decidirmos pendurar apenas um quadro, deveremos seguir algumas pequenas diretrizes para que o resultado final funcione. Eles devem estar centralizados e em harmonia com o restante dos elementos decorativos do cômodo.

O quadro deve ser mais estreito do que o móvel que estiver logo abaixo dele e nunca deve ser mais largo do que o sofá ou o aparador que estiver embaixo dele. Esta é a regra dos dois terços.

Se, por exemplo, o sofá tiver 3 metros, o quadro colocado acima dele deve ter 2 metros de largura e ser disposto na horizontal. Se o quadro for vertical, ele roubará todo o protagonismo do sofá. Portanto, tudo é uma questão de saber para qual peça queremos dar destaque.

Se houver vários quadros

Se vários quadros forem escolhidos, temos muitas opções para fazer uma composição perfeita. Podemos colocá-los na vertical, na horizontal, em nuvem. Todas as composições serão válidas se mantivermos o equilíbrio.

Para agrupar os quadros, devemos ter muito cuidado com a separação que deixaremos entre eles. A menos que um outro efeito seja buscado de forma intencional, a regra a ser seguida é: quanto maiores os quadros, maior a distância que devemos deixar entre eles.

O fio condutor

Certamente, quando criamos composições com vários quadros, devemos seguir um fio condutor que se relacione com todos eles. Pode ser o tema, a cor ou qualquer elemento que eles tenham em comum. Devemos descartar composições que não tenham esse elemento em comum porque, esteticamente, elas não funcionarão.

Mesmo assim, não tenha medo de misturar quadros; procure pelo ponto em comum e imagine várias maneiras diferentes de colocá-los juntos. Então, deixe a ideia amadurecer por alguns dias e, finalmente, você encontrará a forma certa de vestir as paredes da sua casa.

Fonte: R7

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Continue Lendo

Especial Folha

Entrega de lanche a morador de rua em dia de aniversário viraliza

Ciclista que trabalha como entregador de um aplicativo recebeu a solicitação de um cliente e realizou a entrega na rua Augusta, região central de São Paulo

O entregador Cristopher Jonas recebeu um pedido e na hora da entrega descobriu se tratar de um presente para um morador de rua, era aniversário do homem na última quarta-feira (18). Cristopher publicou o caso em sua rede social e a história viralizou.

O jovem recebeu a solicitação pelo aplicativo Ifood para retirar um lanche em um restaurante que sempre atende e seguiu para a entrega, na Rua Augusta nº 215, sentido centro de São Paulo. Ao chegar no local, ele conta que se surpreendeu com a descrição do pedido. “Era aniversário de um morador de rua e uma pessoa passou por ele, conversou e ele disse a ela que era seu aniversário, ela pediu um lanche pra ele de presente. Entreguei o lanche e o parabenizei”, contou Cristopher.

Ele, que estava em um dia ruim até então e já tinha discutido com outro ciclista no trânsito, contou a história que mudou seu dia para provar que “ainda existe pessoas de bom coração nesse mundo”. O post no Facebook já tem mais de 50 mil curtidas e 23 mil compartilhamentos.

PUBLICIDADE

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Continue Lendo

Especial Folha

Confira os principais temas de atualidades para o Enem

Incêndio na Amazônia, surto de sarampo e sequestro de um ônibus no Rio. Veja quais foram os acontecimentos de agosto e o que pode cair no vestibular 

Para ajudar os estudantes nas provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e nos vestibulares de fim de ano, que cobram questões de atualidades, o R7 reuniu os principais acontecimentos do mês de agosto. Confira as principais notícias que agitaram o mês no Brasil e no mundo

Os incêndios na Amazônia sem dúvida estiveram e estão no centro das atenções no país e no exterior. A maior floresta tropical do mundo, A Amazônia possui a maior biodiversidade e também a maior bacia hidrográfica de todo o planeta. A fauna é rica e conta com cerca de 30 milhões de espécies, muitas delas ainda não catalogadas ou estão em estudo. Além da riqueza natural, a região é fundamental para manter o equilíbrio de chuvas no Brasil, Caribe e Oceano Pacífico.

Quando o desmatamento aumenta, a emissão de vapor de água para a atmosfera diminui. Como consequência, há redução de chuvas locais e em regiões mais distantes. De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o desmatamento na Amazônia foi 90% superior ao registrado no ano anterior. As queimadas em massa são investigadas e tudo indica que um grupo de grileiros e fazendeiros do Pará programaram, via um grupo do Whatsapp, incendiar áreas da floresta no chamado Dia do Fogo  .

PUBLICIDADE

As queimadas causaram preocupação mundial e líderes passaram a pressionar o governo para acabar com o incêndio na floresta. O embate maior foi travado entre o presidente brasileiro Jair Bolsonaro (PSL) e o presidente francês Emmanuel Macron. As discussões travadas na reunião do G7 passaram por questões diplomáticas e até mesmo pessoais.

Segurança pública é um assunto sempre presente nas questões do Enem. No dia 20 de agosto, um homem sequestrou um ônibus na ponte Rio-Niterói, após quatro horas de tensão, com os passageiros terem sido feitos reféns, o sequestrador foi morto pela Polícia Militar.  William Augusto da Silva apresentava um quadro de surto quando dominou o ônibus com uma arma, uma faca e gasolina. Após o término do sequestro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), chegou ao local de helicóptero e comemorou “a vida”.

Um surto de sarampo preocupa as autoridades de saúde pública do Brasil. De acordo com informações divulgadas pelo R7, O estado de São Paulo contabiliza 2.457 casos confirmados da doença. Deste total, 66,6% se concentram na capital, com 1.637 ocorrências. O sarampo já matou duas crianças e um homem de 42 anos. Campanhas de vacinação são intensificadas em todo o país.

Manifestantes vão às ruas de Hong Kong, uma das regiões administrativas da China, para protestar contra um projeto de lei de extradições proposto pelo governo da líder Carrie Lam. A lei que está em debate, se aprovada, permitirá que suspeitos de alguns tipos de crime, sejam enviados e julgados na China continental. No entanto, na visão de especialistas, o que está em jogo é a autonomia política e judicial do território.

Fonte: R7

 

PUBLICIDADE

 

Deixe seu comentário

PUBLICIDADE

Continue Lendo

POPULARES