Oficina Cognitiva para idosos recomeça com novas turmas em Votuporanga

Encontros são gratuitos e realizados às quintas-feiras na sede da Secretaria da Saúde do município; independência e a autonomia na terceira idade são os objetivos das sessões

O elevado aumento da população idosa tem contribuído para um interesse maior dos profissionais de saúde e da própria população nos assuntos que norteiam a qualidade de vida na terceira idade. O envelhecimento não significa deterioração cognitiva. Hoje, as pessoas com mais de 60 anos podem desenvolver as funções de cognição, possibilitando mais independência e a garantia da própria saúde e emocional e física. Desde março deste ano, a Prefeitura de Votuporanga por meio da Secretaria da Saúde do município promove grupos terapêuticos da “Oficina Cognitiva” especialmente voltados para o público da terceira idade, com ou sem perdas cognitivas (déficit de atenção, raciocínio, concentração e memória). Os encontros da segunda turma já iniciaram neste mês, e são realizados semanalmente. 

Os encontros gratuitos contam com 10 sessões, e as turmas são divididas em dois grupos abertos. Para participar dos encontros gratuitos, é necessário entrar em contato com a equipe de enfermagem da unidade de saúde, para o encaminhamento das sessões. As sessões são realizadas todas as quintas-feiras na Secretaria Municipal da Saúde, em dois horários, às 13h30 e às 14h30. Mais informações referentes ao grupo podem ser obtidas na unidade de saúde de referência do paciente.  

A rede de Atenção Básica do município incentiva a manutenção e o estímulo da capacidade cognitiva da população idosa, é o que explica a coordenadora do Programa de Saúde do Idoso da Secretaria da Saúde do município, Elaine Madrid. “Essa nova proposta inserida aos programas vinculados à saúde do idoso objetiva não só a promoção da saúde e a independência, como também identifica e sonda as doenças relacionadas ao avanço da idade. O projeto conhecerá de perto o perfil da população idosa de Votuporanga, melhorando cada vez mais a atenção a este público”.

As sessões são ministradas pela terapeuta ocupacional da Secretaria da Saúde, Cláudia Carmo, que durante os encontros desenvolve diversas atividades de cognição para o estímulo de hábitos saudáveis, levando em conta as condições de cada um dos integrantes. “Além de orientações sobre o processo de envelhecimento em uma perspectiva positiva, a oficina realiza atividades de memória, quebra-cabeças, raciocínio lógico, desafios, caça-palavras, entre outros, sempre visando a manutenção das habilidades cognitivas”.

Nas sessões são abordadas e estimuladas outras funções, como a importância do autocuidado com a saúde, sociabilização, cidadania e saúde mental. Segundo ela, idosos que possuem algum tipo de déficit em decorrência da idade ou com dificuldades para leitura e escrita, também estão convidados a participar. “As atividades e exercícios aplicados são planejados para esse público, não apresentam restrições e são adaptados conforme o perfil de cada grupo”, detalha Claudia. 

Ao final dos 10 encontros, os idosos serão encaminhados para a unidade de saúde, de acordo com as necessidades identificadas pela profissional durante as sessões. 

Similar Posts

%d bloggers like this: