Fernandópolis registra primeiro caso de leishmaniose em humano

A Secretaria Municipal da Saúde confirmou na tarde da última quarta-feira, 14, o primeiro caso de leishmaniose visceral em humano, registrado em Fernandópolis.

A vítima é uma criança de 01 ano e meio que permanece internada na Santa Casa, sendo submetida a tratamentos, mas passa bem.

O caso foi notificado pelo CADIP (Centro de Atendimento a Doenças Infecto Contagiosas e Parasitárias), que está mantendo todos os cuidados necessários com a paciente e auxílio aos seus familiares, que residem no bairro Vila Veneto.

O caso também é investigado pelo Centro de Controle de Zoonoses, que já deu início às ações na residência da família, bem como na moradia dos avós paternos e maternos, nos bairros CAIC e Coester, locais onde a criança também permanece com frequência e imediações.

A equipe percorrerá, ao todo, 25 quadras de cada uma das três residências para fazer a coleta de sangue nos locais que têm cachorros, a fim de averiguar se há contaminação de leishmaniose nos animais das áreas visitadas. Com esse trabalho será possível constatar se a criança foi contaminada no município, ou, até mesmo, em recente viagem feita com a família à região.

ORIENTAÇÃO E CAPACITAÇÃO

A Secretaria Municipal da Saúde realizará ações de capacitação com todos os médicos da rede pública municipal, bem como com agentes comunitários de saúde e agentes de vetores, instruindo sobre a importância dos meios de prevenção da leishmaniose e combate ao mosquito-palha.

A LEISHMANIOSE

Leishmaniose visceral, ou calazar, é uma doença transmitida pelo mosquito-palha ou birigui (Lutzomyia longipalpis) que, ao picar, introduz na circulação do hospedeiro o protozoário Leishmania chagasi.

Nos centros urbanos a transmissão se torna potencialmente perigosa por causa do grande número de cachorros, que adquirem a infecção e desenvolvem um quadro clínico semelhante ao do homem. A doença não é contagiosa nem se transmite diretamente de uma pessoa para outra, nem de um animal para outro, nem dos animais para as pessoas. A transmissão do parasita ocorre apenas através da picada do mosquito fêmea infectado.

Sintomas

Os principais sintomas da leishmaniose visceral são febre intermitente com semanas de duração, fraqueza, perda de apetite, emagrecimento, anemia, palidez, aumento do baço e do fígado, comprometimento da medula óssea, problemas respiratórios, diarreia, sangramentos na boca e nos intestinos.

Diagnóstico

O diagnóstico precoce é fundamental para evitar complicações que podem pôr em risco a vida do paciente. Além dos sinais clínicos, existem exames laboratoriais para confirmar o diagnóstico. Entre eles destacam-se os testes sorológicos e de punção da medula óssea para detectar a presença do parasita e de anticorpos.

Recomendações

Mantenha a casa limpa e o quintal livre dos criadores de insetos. O mosquito-palha vive nas proximidades das residências, preferencialmente em lugares úmidos, mais escuros e com acúmulo de material orgânico. Ataca nas primeiras horas do dia ou ao entardecer;

Coloque telas nas janelas e embale sempre o lixo;

Cuide bem da saúde do seu cão. Ele poderá transformar-se num reservatório doméstico do parasita e por meio da picada do mosquito se tornar um vetor da doença.

Fonte: http://www.regiaonoroeste.com

Similar Posts

%d bloggers like this: