Ligue-se a nós
[adrotate group="1"]

Com poucos recursos, Pinheiros incomoda os favoritos e briga pelo título do NBB

O Pinheiros não sabe o que é perder no NBB, o Novo Basquete Brasil, desde 7 de novembro do ano passado. As dez vitórias consecutivas mudaram o status da equipe da capital na briga pelo título. Com um terço do orçamento de Franca e Flamengo, que investem quase R$ 9 milhões por temporada, o técnico Cesar Guidetti se apoiou em uma análise detalhada para formar um grupo homogêneo dentro e fora de quadra.

Utilizando critérios técnicos, físicos e estudando minuciosamente o perfil dos atletas, o treinador contratou pelo menos dois jogadores de nível similar para cada posição. Com carta branca da diretoria e ajuda do auxiliar Nelsinho e do analista de desempenho, Fabrício Rocha, chegaram Renato Carbonari, Betinho, Isaac, Dawkins e Gabriel. O clube renovou ainda com peças fundamentais, como Marcus Toledo, Bennett e Ruivo.

“Procuramos montar um time mais homogêneo possível dentro da nossa condição financeira”, explicou Cesar. “Eles entenderam o que quero e estou contente pelas opções. Posso realizar tocas, mudar formações e isso me deixa à vontade.”

O processo de transformação do elenco, no entanto, contou com um episódio traumático. Principal jogador nas temporadas anteriores, o americano Holloway não teve o contrato renovado por uma decisão da comissão técnica. “Ele nos ajudou muito, mas decidimos mudar a filosofia de jogo”, disse o treinador.

A adaptação de alguns atletas à nova realidade foi outro obstáculo. O ala Betinho, por exemplo, estava acostumado com o protagonismo no Basquete Cearense e demorou um pouco para compreender o papel que teria de exercer no Pinheiros. Hoje, ele soma 21,8 minutos de média e está entre os cestinhas da equipe, com 13 pontos. “Tivemos alguns tropeços e usamos isso para apreender”, comenta Cesar. “Alguns jogadores que não estavam rendendo agora estão”, completou.

Aliás, os números pulverizados nas estatísticas ajudam a explicar como a divisão do protagonismo foi a chave para a obtenção dos resultados. O Pinheiros não depende apenas de um jogador. “Fica até mais difícil para neutralizar o nosso time”, comenta Marcus Toledo. “O grupo abraçou o espírito de que é primeiro o Pinheiros e depois o individual”, completou Ruivo.

Com um basquete solidário, o time acumula 15 vitórias em 18 jogos – perdeu para Paulistano, Minas e Corinthians. Na campanha, triunfos importantes sobre Flamengo (duas vezes) e Franca, em casa. (ainda voltarão a se enfrentar no Pedrocão, em março). “Acredito nesta equipe deste o início. Essas vitórias só confirmam que o nosso time tem condições de brigar no topo, dão confiança e mostram que estamos no caminho certo”, disse Cesar.

Ruivo prefere lembrar de uma derrota. Não foi pelo NBB, mas, segundo ele, serviu para ligar o sinal de alerta. Pela Copa Super 8, o Pinheiros foi eliminado pelo Botafogo. “Conseguimos enxergar o lado positivo daquela derrota. O nosso time era muito bom, estava muito bem na temporada, mas não era invencível. Entendemos que teríamos de entrar em quadra todos os dias determinados.”

Para os atletas, pensar em título ainda é algo distante. “Não podemos esquecer os times favoritos. O caminho é muito longo. Temos muita coisa para evoluir”, comenta Toledo. “Estamos com os pés no chão. Temos de matar um leão por dia, não deixar nenhum arrependimento, fazer tudo o que podemos”, completa Ruivo.

Basta acompanhar um único treino para perceber que dedicação não vai faltar para dar ao Pinheiros o primeiro título de NBB. Todos realizam hora extra em quadra ao ponto de, algumas vezes, ser necessário pedir para que pisem no freio. “Queremos muito, nos cobramos muito. O comprometimento deste grupo é enorme”, afirmou Betinho.

Anúncio

Coronavírus

Pediatra explica COVID-19 e suas complicações para os pequenos

Médico da Santa Casa, Antônio Seba Júnior, falou dos sintomas e pediu atenção aos cuidados de higiene com as crianças

Em época de Coronavírus (COVID-19), todo cuidado é pouco com nossos pequenos. As crianças estão em isolamento social e, mesmo assim, podem ser transmissores da doença para seus pais e avós.

Por isso, a Santa Casa de Votuporanga entrevistou o médico pediatra Antônio Seba Junior, para orientar os papais. “A criança, quando é comprometida com a COVID-19, na grande maioria das vezes, tem evolução mais favorável comparada com os adultos. Acredita-se que seja devido ao encontro anterior precoce com os tipos de Coronavírus benignos. Os sintomas são: tosse, nariz escorrendo, febre baixa, vômito e diarreia”, explicou.

O Dr. Seba Junior ressaltou que, entretanto, alguns pequenos são do grupo de risco. “Não podemos esquecer que há um número grande de crianças com morbidades – outras doenças relacionadas – como paralisia cerebral, diabetes, tratamento oncológico, prematuras com patologias pulmonares e que requerem atenção”, complementou.

Afastamento

O profissional enfatizou que os menores devem ficar longe dos avós. “É fundamental manter as atividades de higiene destas crianças. Eles são transmissores para adultos e terceira idade. E em contato com este público, o quadro pode evoluir para mais grave”, disse.

Ele orientou que deve-se evitar inalações com soro neste período. “Existem outros vírus que apresentam os mesmos sintomas, como da Influenza que pode desenvolver insuficiência respiratória aguda e grave. Tosse, falta de ar, febre alta são sinais de que os pais devem procurar assistência médica para os pequenos pacientes”, finalizou.

Continuar Lendo

Destaques

Santa Casa recebe doação de 153 quilos de abóbora

Diretamente de Tanabi, as colaborações vieram de um produtor rural e um grupo de amigos

A solidariedade realmente não tem fronteiras. Nos momentos mais difíceis, como da pandemia do Coronavírus (COVID-19), a empatia e o amor ao próximo são maiores do que qualquer doença.
A Santa Casa de Votuporanga recebeu doação de 153 quilos de abóbora. O produtor rural de Tanabi, Werinto Rodrigo Quiles Rodrigues, ajudou o Hospital juntamente com um grupo de amigos. “Em virtude do novo vírus, muitas pessoas estão em isolamento em casa, o que dificultou as minhas vendas e de um grupo de agricultores neste mês. Pensei em colaborar com entidades e direcionamos para a Santa Casa”, contou Werinto.
Ele disse ainda que, entrou em contato com o Setor de Captação da Instituição. “Ficamos muito felizes de ajudar o Hospital, que atende toda a região”, afirmou.
As abóboras foram destinadas para o Serviço de Nutrição e Dietética da Santa Casa, responsável pelo fornecimento de 1.700 refeições diárias a pacientes e acompanhantes. “Nosso muito obrigado para Tanabi. Nossos assistidos sentirão o amor e a solidariedade de vocês, durante os dias internados. São ações assim que nos motivam ainda mais a manter nossos atendimentos com qualidade e humanização”, afirmou o provedor Luiz Fernando Góes Liévana.

Continuar Lendo

Destaques

Docente da UNIFEV orienta sobre métodos de estudo em casa

Prof. Me. Anderson Bençal Indalécio deu dicas sobre como manter a produtividade em tempos de isolamento social

A necessidade de permanecer em isolamento social para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de trabalho e de estudos da maioria dos brasileiros. Na UNIFEV, com o início das férias antes do previsto, os universitários têm utilizado a tecnologia como aliada para a continuidade de pesquisas e revisão de conteúdos

Como é o caso do estudante Hiago Rodrigues de Oliveira, 19 anos, do 5º período do curso de Direito da Instituição, que com a suspensão das aulas presenciais, desenvolveu o seu próprio método de estudos. Para que o seu ritmo de universitário fosse mantido, ele estabeleceu horários regrados para pesquisas e leituras de temas relacionados a sua área.

“Apesar de lamentar a paralisação das aulas, é uma pausa válida para que todos os conteúdos sejam repassados detalhadamente. Atualmente, temos acesso a uma variedade muito grande de fontes de informação, o que facilita bastante na hora de complementar alguma teoria. Um dos materiais que tem me ajudado bastante é o acesso à biblioteca virtual Saraiva Jur, disponibilizada pela UNIFEV. Por lá, consigo encontrar doutrinas atualizadas”, disse.

Para quem assim como o estudante, está cercado com muitas informações, o docente da Instituição, Prof. Me. Anderson Bençal Indalécio, separou dicas valiosas, para tornar o período mais proveitoso. “Quando estamos em casa nossa motivação para realização de atividades de pesquisa e leitura tende a diminuir. Esse cenário normalmente é agravado quando dedicamos muito tempo para acessar recursos de entretenimento, como por exemplo games, redes sociais e televisão”, destacou.

Para fugir dessas armadilhas, Bençal detalha algumas ações que podem fazer a diferença para quem está em busca de foco durante o isolamento social. “Por meio de iniciativas simples é possível aproveitar o tempo livre para se aprimorar, basta ter atitude e criatividade”.

Crie uma rotina e disciplina para estudar

Estipule uma rotina equilibrada com horários para cada atividade, definindo quais serão os momentos do seu dia destinados ao lazer e aos estudos. “Desligue a televisão e deixe seu celular em modo avião. Foco é muito importante para compreensão dos conteúdos estudados”, completou o docente.

A dica do professor é reservar no mínimo quarenta minutos de leitura pela manhã, quarenta minutos de pesquisa no período da tarde e quarenta minutos de leitura no período noturno, que somará ao final de uma semana 14 horas de atividades.

Estabeleça metas

Implante metas ou objetivos que condicionam o engajamento e estimulam a motivação com pequenas conquistas. “Fazer a leitura de um capítulo de livro por dia, pesquisar artigos relacionados aos assuntos de seu interesse e estudá-los no período de até dois dias, terminar a leitura de um livro dentro de uma semana, são exemplos de metas viáveis e significativas para manter a produtividade”, ressaltou.

Use os recursos tecnológicos a seu favor

Em tempos de isolamento social o acesso às bibliotecas ou o encontro com colegas para discutir tópicos importantes sobre disciplinas ficaram comprometidos. Para Bençal, na era da informação em que vivemos, os recursos tecnológicos surgem para romper as barreiras físicas.

“As ferramentas de busca disponíveis na internet, como GoogleYahoo e Bing ampliaram as possibilidades de acesso à informação. Em um clique, podemos visitar bibliotecas e acervos de conteúdo das maiores universidades do mundo, assistir palestras de grandes especialistas em diversas áreas, por meio de plataformas como o YouTube e o TED Talks”, disse.

Para a pesquisa de artigos científicos, o docente indica as seguintes plataformas: scielo.brscholar.google.com.brperiodicos.capes.gov.br; e bdtd.ibict.br/vufind.

Selecione o seu conteúdo

É preciso entender que nem todos os sites da internet são confiáveis, uma vez que qualquer pessoa pode compartilhar informações como bem entendem, com isso o risco de acesso a conteúdos ilegítimos é maior.

“É importante utilizar sites vinculados à instituições sérias e renomadas. Os blogs, por exemplo, geralmente disseminam informações sem base científica, portanto prefira artigos científicos publicados para trabalhos de cunho acadêmico. Além disso, utilize livros para estudar conceitos clássicos do seu campo de estudo. Atualmente, é possível encontrar muitos materiais em formatos digitais de E-Book ou Pdf”.

Reuniões online

Reunir-se com os colegas para trocar ideias e sanar dúvidas sobre os conceitos que os professores trabalharam em aula é uma excelente oportunidade de aprendizado. As restrições com relação aos encontros presenciais podem ser superadas por meio de recursos digitais, como o Google Hangouts, grupos de WhatsApplives no Instagram ou Facebook.

Cursos na modalidade Educação a Distância (EAD) e jogos infantis

A UNIFEV abriu seu acervo com mais de 30 jogos e 20 cursos online para alunos e para a comunidade em geral, de forma totalmente gratuita. O incentivo é uma forma de apoio para as pessoas permanecerem em casa, em razão da pandemia do novo coronavírus. Os conteúdos podem ser acessados pelos links: unifev.edu.br/cursosgratis (cursos) e unifev.edu.br/jogosgratis (jogos).

Bibliotecas virtuais

Os estudantes do Centro Universitário de Votuporanga podem complementar suas pesquisas, por meio de duas plataformas disponibilizadas pela Instituição: A Biblioteca Virtual Universitária (BVU) da Pearson e a Saraiva Jur. A plataforma da Pearson, por exemplo, oferece mais de 4 mil títulos, com obras que abordam diversas áreas do conhecimento, tais como Administração, Direito, Educação, Enfermagem, Engenharia, Gastronomia, Letras, Marketing e Medicina, entre outras. Já a Saraiva Jur é direcionada às áreas de doutrina, legislação e concursos, oferecendo livros a profissionais e estudantes de Direito.

Continuar Lendo

Populares