Blog do Alexandre Colunistas

Panorama Político – 19/10/2018

Posse

A FEV (Fundação Educacional de Votuporanga) realizou a cerimônia de posse da nova Diretoria Executiva, Conselho Fiscal e Conselho de Curadores para o triênio 2018-2021 na noite desta quinta-feira (17) no espaço Unifev (anexo à Santa Casa). Foram empossados 32 membros. A Folha Regional foi um dos veículos de imprensa que ficou até o final do evento.

Celso Penha

Em entrevista à Folha Regional, o novo Diretor Presidente da instituição, advogado Celso Penha Vasconcelos afirmou que “vai abrir a instituição para a comunidade, porque ela é da comunidade”.

 

Presenças ilustres

O evento contou com a presença de diversas personalidades da cidade, políticos e empresários. O novo Diretor Presidente aproveitou o evento para anunciar uma “revisão” na parceria com o OBA.

 

Uma boa revisão

Penha anunciou que após renegociar os termos de parceria com os organizadores do Oba Festival, os melhores alunos de cada sala ganharão 1 “abadá”. Os alunos sem dúvida aprovarão a parceria, selando muito bem uma das suas primeiras “interações” com os alunos.

 

Eleições 2018

O PT pediu nesta quinta-feira (18) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para declarar o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, inelegível por oito anos.

 

Motivo

O pedido foi apresentado em razão de reportagem do jornal “Folha de S.Paulo” que relata casos de empresas apoiadoras de Bolsonaro que supostamente compraram pacotes de disparo de mensagens contra o PT por meio do WhatsApp. Bolsonaro nega irregularidades

 

Prática ilegal

Essa prática, em tese, pode ser ilegal, caso seja considerada pela Justiça doação de campanha feita por empresas. Desde 2015, empresas estão proibidas de fazer doação eleitoral.

 

Folha de São Paulo

Segundo o jornal, as empresas apoiadoras de Bolsonaro compram um serviço chamado “disparo em massa” usando a base de usuários do candidato do PSL ou bases vendidas por agências de estratégia digital. O uso de bases de terceiros pode ser considerado ilegal, já que a lei permite apenas o uso de listas de apoiadores do próprio candidato (nos casos de números cedidos de forma voluntária).

 

PSL contesta

O presidente do PSL, partido de Bolsonaro, Gustavo Bebianno, negou qualquer iniciativa do gênero, isentou a legenda e disse que o candidato do PT, Fernando Haddad, terá que provar a acusação. De acordo com Bebianno, a história é “ridícula”. “Não faz parte de nossa política. Nunca fizemos qualquer tipo de impulsionamento. Nossa campanha é orgânica. Voluntários do Brasil inteiro”.

 

Processo

“Certamente, ele será processado. O senhor Haddad está absolutamente desesperado porque vai perder a eleição. É uma facção criminosa travestida de partido político. Agora, o Partido dos Trabalhadores falar em mentira, fake news, falar em compra, gastando milhões para manipular a opinião pública. Quem sempre fez isso foi o PT.”

Deixe seu comentário