Folha Regional

Agentes de saúde e endemias intensificam ações de combate ao Aedes em Votuporanga

Inclusive aos sábados, residências, instituições e estabelecimentos comerciais são visitados para orientar aos moradores sobre os criadouros do Aedes Aegypti

Nesta época do ano, em que a chuva é intensa e frequente, equipes de agentes comunitários de saúde e de combate à endemias da Secretaria Municipal da Saúde intensificam as ações de combate ao Aedes Aegypti, sobretudo o trabalho de visitas e inspeção nos imóveis. Nesse tipo de estratégia, promovida também aos sábados, os agentes realizam orientações aos moradores, zeladores de instituições e proprietários de estabelecimentos sobre as medidas de combate ao Aedes Aegypti, e ao mosquito transmissor da Leishmaniose, o mosquito palha. 

O trabalho desenvolvido pelos agentes de saúde e de combate à endemias visa orientar e estimular o responsável pelo imóvel a adotar os cuidados necessários e executar durante a visita medidas necessárias para evitar proliferação de vetores ou pragas urbanas. 

Coordenadas pelo Secez (Setor de Controle de Endemias e Zoonoses), as equipes de agentes realizaram em todo ano de 2018, pouco mais de 393 mil visitas, sendo que um mesmo imóvel recebeu a visita dos agentes diversas vezes neste período para às orientações de controle de vetores. O Setor também realiza rotineiramente e intensifica durante este período de chuvas, arrastões, bloqueios, pulverizações, eliminação de criadouros, e um trabalho de educação em saúde nas escolas, indústrias, clubes de serviços, igrejas, entre outros.  

O coordenador do Secez, Nilton Santiago explica que durante este período, se forma um ambiente favorável para o surgimento de criadouros e reprodução do mosquito, consequentemente, à disseminação da dengue, do zika vírus, febre amarela e Chikungunya. “Nossa estratégia é atuar de modo emergencial nessa época de fortes chuvas e elevação das temperaturas. Portanto, nossas equipes vão às ruas realizando, também aos sábados, um trabalho de orientação e sensibilização aos moradores, sanando dúvidas e informando sobre as principais formas de prevenção a essas endemias”. 

O Setor orienta à população a manter os quintais limpos, eliminando possíveis criadouros como garrafas, sacolas plásticas, entre muitos outros recipientes que possam acumular água da chuva. É igualmente importante lavar os bebedouros dos animais com água, bucha e sabão; limpar calhas, utilizar produtos (detergente, sabão em pó) nos ralos internos e externos, a fim de se evitar a proliferação do vetor.  

Em 2018 foram registrados, 218 casos positivos de dengue, um caso importado de zika vírus, dois casos positivos de Chikungunya e nenhum registro de febre amarela. A leishmaniose visceral contabilizou dois casos e a tegumentar, um caso importado. Neste início de ano, nenhum novo caso desses agravos foram registrados.  

Atendimento

Ao sentir sintomas como coceira no corpo, dores nas articulações, corpo e de cabeça; cansaço físico e mental; vermelhidão, sensibilidade nos olhos, náuseas, vômitos, tonturas, perda de apetite, febre baixa ou de início súbito, procure a UPA – 24 horas (Unidade de Pronto Atendimento) ou Hospital do Pozzobon “Fortunata Germano” para atendimento médico necessário. 

Deixe seu comentário

jornalismo@folhar.com.br

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular