Connect with us

Destaques

5 ‘superalimentos’ do futuro que são bons para você e para o planeta

A alga wakame é bastante popular no Japão, mas já é cultivada também nos mares da França, da Nova Zelândia e da Argentina

A alga wakame é bastante popular no Japão, mas já é cultivada também nos mares da França, da Nova Zelândia e da Argentina
Stacy Michelson/BBC

Se você quer se manter saudável e ajudar a salvar o planeta, que tal um prato de algas seguido por alguns cactos e grãos cultivados desde a antiguidade?

Globalmente, contamos com uma pequena variedade de alimentos – apenas três grãos (arroz, milho e trigo) compõem quase 60% das calorias vegetais da dieta humana. As pessoas podem até obter calorias suficientes desta forma, mas dietas restritas nem sempre fornecem vitaminas e minerais suficientes.

Um novo relatório da organização não governamental World Wide Fund for Nature (WWF) lista 50 dos chamados “superalimentos do futuro”, que são saudáveis e bons para o meio ambiente. Conheça cinco deles para incluir em seu cardápio.

Moringa

A moringa é muitas vezes chamada de 'árvore milagrosa' por crescer rápido e ser resistente à seca

A moringa é muitas vezes chamada de ‘árvore milagrosa’ por crescer rápido e ser resistente à seca
Stacy Michelson/BBC

A moringa é muitas vezes chamada de “árvore milagrosa” – cresce rápido, é resistente à seca e, no sul da Ásia, onde é uma espécie nativa, muitas de suas partes são usadas na medicina ayurvédica. Suas folhas podem ser colhidas até sete vezes por ano e contêm vitaminas A e C, além de minerais como cálcio e potássio.

Nas Filipinas e na Indonésia, é comum cortar as longas vagens em pedaços menores para serem cozidos em curries e sopas. Estas vagens também contêm sementes que são ricas em ácido oleico, que tem sido associado a níveis mais elevados de colesterol “bom” no corpo.

As folhas podem ser moídas e transformadas em pó para serem usadas em vitaminas, sopas, molhos e chás.

Priya Tew, nutricionista e porta-voz da Associação Dietética Britânica, sabe bem disso. “Na minha família no Sri Lanka, comemos como parte de um curry. Você raspa o interior com os dentes e chupa o molho.”

Wakame

As algas wakame podem ser cultivadas durante todo o ano

As algas wakame podem ser cultivadas durante todo o ano
Stacy Michelson/BBC

No Japão, as algas wakame são cultivadas há séculos para serem usadas na alimentação, mas também são oferecidas aos espíritos dos antepassados, ​​e até impostos já foram pagos em algas marinhas.

Hoje em dia, também é cultivada nos mares da França, da Nova Zelândia e da Argentina. Pode ser colhida durante todo o ano – sem o uso de fertilizantes ou pesticidas – e desidratada ao sol.

O algas secas conferem um delicioso sabor salgado e umami (o quinto gosto do paladar humano) aos alimentos. Também são uma das poucas fontes vegetais de ácido eicosapentaenóico – o ácido graxo ômega-3, encontrado em peixes com alto teor de gordura que se alimentam exclusivamente de algas.

Uma das mais suaves algas marinhas marrons, a wakame também contém uma grande quantidade de fucoidan – uma fibra alimentar que estudos com animais têm demonstrado ter bons efeitos na redução da pressão arterial, além de propriedades anticoagulantes e antitumorais.

“Algas pode ser uma grande fonte de iodo e ômega 3, especialmente para as pessoas que consomem menos produtos de origem animal. Comia muito isso em Hong Kong”, diz Priya Tew.

Mas ela faz um alerta: “É importante comer em pequenas quantidades por dia para não ingerir muito iodo e metais pesados presentes no mar”.

Fonio

Este antigo grão africano pode ser o novo cuscuz?

Este antigo grão africano pode ser o novo cuscuz?
Stacy Michelson/BBC

Este antigo grão africano é conhecido pelo seu sabor delicado que lembra o de nozes. O povo bambara, do Mali, diz que ele “nunca cria problemas para o cozinheiro” por ser muito fácil de preparar.

Há evidências de que vem sendo cultivado há mais de cinco mil anos, desde o Egito antigo. Existem variedades preta e branca do cereal, que é resistente à seca e está pronto para ser colhido em apenas 60 ou 70 dias na região do Sahel, na África Ocidental.

Os grãos de fonio são tão pequenos quanto areia – e a casca não comestível precisa ser removida. Grande parte deste trabalho é feito à mão, mas um novo moinho no Senegal pode levar o grão sem glúten a ser exportado para todo o mundo quando for concluído no próximo ano.

Rico em ferro, zinco e magnésio, o fonio pode ser usado no lugar do cuscuz ou do arroz e até mesmo usado para fazer cerveja.

Priya Tew diz que “é um grão que adoraria experimentar”. “Acho que será popular, pois é livre de glúten, e o fato de ser resistente à seca o torna uma boa opção como um alimento do futuro diante do aquecimento global”.

Nopal

Cacto nopal pode ajudar pessoas com diabetes do tipo 2

Cacto nopal pode ajudar pessoas com diabetes do tipo 2
Stacy Michelson/BBC

Este tipo de cacto comestível é comumente usado na culinária mexicana, que utiliza seu caule, frutos e brotos como ingredientes. Pode ser comido cru ou cozido e transformado em suco ou geléia. É fácil cultivá-lo na América Central e do Sul, na Austrália e até na Europa.

Alguns estudos clínicos sugerem que a fibra dos cactos ajuda o corpo a excretar mais da gordura que é ingerida, mas quaisquer benefícios para a perda de peso ainda precisam ser comprovados.

Outros estudos sugeriram que reduz os níveis de açúcar no sangue em pessoas com diabetes tipo 2 e pode até combater os sintomas desagradáveis da ressaca.

Quem quiser experimentar este cacto deve tomar cuidado: algumas pessoas relatam efeitos colaterais como diarréia leve, náusea e inchaço abdominal.

“Alguns dos benefícios para a saúde apontados parecem ser interessantes, mas é importante notar que não são comprovados e que existem efeitos colaterais. Por isso, infelizmente, dificilmente virará moda em alimentação saudável”, diz Priya Tew.

Feijão-bambara

O feijão-bambara é de fácil cultivo e uma boa fonte de proteína

O feijão-bambara é de fácil cultivo e uma boa fonte de proteína
Stacy Michelson/BBC

É como uma versão menos oleosa e doce de um amendoim. O feijão-bambara chamou a atenção de especialistas em alimentos sustentáveis, ​​porque pode ser cultivado em solos pobres, tornando-os mais férteis ao “fixar” nitrogênio na terra.

A leguminosa africana também é cultivada no sul da Tailândia e partes da Malásia e pode ser cozida, assada, frita ou moída para formar uma farinha fina.

No leste da África, os grãos são transformados em purê para criar uma base para sopas. Ele é conhecido como um “alimento completo”, por ser rico em proteínas e uma fonte do aminoácido essencial metionina, que promove o crescimento de novos vasos sanguíneos e a absorção de zinco, necessário para o sistema imunológico do corpo. Também tem muito selênio, que ajuda a regular a função da tireóide e fortalece o sistema imunológico.

“Pode ser ótimo para pessoas vegetarianas, veganas ou que têm uma dieta baseada em vegetais, por ser uma fonte de proteína e ser obtido por meio de culturas sustentáveis”, diz Tew. “Com as atuais questões que temos diante do futuro de nossa alimentação, precisamos alimentos versáteis e de fácil cultivo como este.”

 

Deixe seu comentário

Continue Lendo
Publicidade

Destaques

Museu da Imagem e do Som realiza duas oficinas gratuitas de animação em Votuporanga

Os encontros são voltados para crianças a partir de 7 anos; e acontece na quinta-feira (18/07), em dois horários, às 8h e às 14h

A próxima quinta-feira (18/07) será de muita animação para crianças a partir de 7 anos. O Museu da Imagem e do Som (Pontos MIS) em parceria com a Prefeitura de Votuporanga, por meio da Secretaria da Cultura e Turismo, realizará duas oficinas de animação com Marta Russo. Serão disponibilizadas 20 vagas para cada, uma no período da manhã e outra, diferente, no período da tarde. A participação é gratuita. 

A primeira oficina acontece das 8h às 12h, com o tema: “Ligados em Animação!”. Durante as atividades, os participantes vão aprender utilizar o celular para produzir filmes com a técnica do stop motion. Depois da criação dos roteiros e storyboard é hora de confeccionar os personagens em massa de modelar para, então, “dar vida” a esses personagens fotografando e movimentando quadro a quadro.

Para isso, serão utilizados aplicativos gratuitos que possibilitam a edição de som, das imagens e o compartilhamento dos filmes. A segunda, das 14h às 18h, intitulada “Luz, Câmera, Papel e Animação!”, é uma oficina de animação 2D, também conhecida como “cut out” ou de recorte. Será realizado um filme de animação stop motion (quadro a quadro) utilizando papel, revistas e fotos para confecção de personagens, adereços, planos e cenários. Os participantes aprenderão sobre os princípios básicos da animação através da exibição de brinquedos ópticos e vivenciarão todas as etapas da produção de um filme de animação desde storyboard, criação de roteiros e de personagens, captação de imagem (movimento) e edição.

As oficinas serão no Centro de Cultura e Turismo, localizado no Parque da Cultura, na Avenida Francisco Ramalho de Mendonça, 3112, Jardim Alvorada. As inscrições podem ser feitas antecipadamente, no mesmo local, ou pelo telefone (17) 3405-9670 (ramal 208). 

Marta Russo

A oficineira Marta Russo é formada em Artes Visuais e pós-graduada em Educomunicação na ECA – USP. É produtora e educadora da Matiz Filmes Produções desde 2001 e coordena oficinas de animação stop motion em escolas, unidades do Sesc, casas de cultura e Organizações Não Governamentais (ONGs). É também produtora e relações públicas da Maurício de Sousa Produções e atuou em escolas, ensinando sobre desenho animado e histórias em quadrinho. Como redatora, colaborou na revista Sítio do Picapau, da Editora Globo, e também produziu curta-metragens, filmes publicitários e programas educativos para a TV. Atua ainda como professora da disciplina Meios e Comunicação em uma escola particular da cidade de São Paulo e na ONG Projeto Criador.

Deixe seu comentário

Continue Lendo

Destaques

Policial militar da região é assassinado na capital

FÁBIO JÚNIOR LISBOA QUE ESTAVA DE FOLGA, TENTOU PRENDER DOIS CRIMINOSOS QUE ASSALTAVAM UM BAR NO CAPÃO REDONDO, NA ZONA SUL DE SÃO PAULO, QUANDO FOI ALVEJADO NAS COSTAS. 

Na noite de ontem (16), o policial militar Fábio Júnior Lisboa, 33 anos, nascido em Santa Rita D`Oeste/SP, foi assassinado enquanto tentava prender dois criminosos que assaltavam um bar, no bairro Capão Redondo, zona sul de São Paulo. 

De acordo com informações, os dois bandidos entraram no bar, renderam clientes e funcionários e exigiram entrega de celulares, joias e dinheiro. Fábio, que estava de folga, percebeu o assalto quando chegava no estabelecimento. 

Ao tentar prender os criminosos, houve troca de tiros e o policial acabou sendo atingido por dois tiros nas costas. Os ladrões fugiram depois do policial cair no chão. Fábio chegou a ser encaminhado para o pronto-socorro em M’Boi Mirim, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu. 

O caso será investigado pelo 47º Distrito Policial, no Capão Redondo. Fábio deixa mulher grávida e um filho de 16 anos. 

Fonte: Votunews

Deixe seu comentário

Continue Lendo

Destaques

Congresso de Educação terá minicursos na Cidade Universitária

Encontros são ministrados por profissionais reconhecidos nacional e internacionalmente e abrangem diversos temas

 

Entre os momentos mais aguardados pelos cerca de 2,2 mil educadores participantes do 6º CIENP – Congresso Internacional de Educação do Noroeste Paulista estão as oficinas ministradas por profissionais de todo o país das mais diversas áreas. Até esta sexta-feira, 60 minicursos estão sendo oferecidos na Cidade Universitária da Unifev, além de palestras no Centro de Eventos “Valério Giamatei” (Ilha do Pescador).

 

A partir do tema central “Competências Socioemocionais e os Processos Educativos para o Século XXI”, os encontros práticos abordarão áreas como Competências Socioemocionais, Inovação e Tecnologia, Metodologias Educacionais, Ensino-aprendizagem, Educação Especial, Gestão Educacional, Desenvolvimento Infantil, Ludicidade, Profissão Docente, Arte, Ciências da Natureza, Ciências Humanas, Matemática, Currículo, Educação Infantil, Literatura e Língua Inglesa.

 

 “Nossos educadores começaram esse encontro já na tarde desta quarta-feira e seguem nesta atividade até sexta. No total, cada um participará de três oficinas. As temáticas são atuais e apresentadas por realidades que eles vivenciam em sala de aula, por isso são tão importantes e agregam valor no processo de ensino-aprendizagem”, comentou Ederson Marcelo Batista, coordenador executivo do ADE Noroeste Paulista – Arranjo de Desenvolvimento da Educação.

 

6º CIENP

 

Este ano, o CIENP, que começou nesta quarta-feira (17/7) e segue com programação até sexta-feira (19/7), tem como tema “Competências Socioemocionais e os Processos Educativos para o Século XXI”, com palestras com Leandro Karnal, Nino Paixão, Fernando Moraes e Luciana Brites, no Centro de Eventos Valério Giamatei (Ilha do Pescador). A programação também inclui oficinas/minicursos na Cidade Universitária da Unifev. O encerramento da programação será com o musical circense “O Rei do Show”.

 

O CIENP, idealizado pelo ADE Noroeste Paulista, é organizado em parceria com a Unifev, o IFSP de Votuporanga e a AMA – Associação dos Municípios da Araraquarense, com o apoio da SOMOS, Editora Moderna, Starb, NeuroSaber, Undime SP, Oficina Municipal, Cenpec, Senac Votuporanga, Método Uniformes, Tenda Digital, Fábrica de Produtos, Pé com Pé, Boquinhas, Faperp, FATD Consultoria, Senac, Aport, Cern Coaching & Mentoring, Brick Solutions, Piraporiando, Plataforma Um, Programa Semente, Editora Pindorama, Arth Móveis e CIEE.

Deixe seu comentário

Continue Lendo

POPULARES

Copyright © 2019 FOLHAR.COM.BR