Ligue-se a nós
[adrotate group="1"]

’24 horas de Ciclismo’ quer popularizar esporte em Votuporanga

André Nonato
[email protected]

Pedalar une pais e filhos, conecta grupo de amigos e transforma
pessoas sedentárias em atletas de elite do mountain bike

O uso da bicicleta como esporte e recreação tem aumentado nos últimos tempos. Antes mais ligado ao transporte urbano alternativo, o ato de pedalar tem se tornado um exercício físico cada vez mais procurado por pessoas de todas as idades.
Para tentar popularizar o esporte, ainda mais, em Votuporanga, a Avocicli (Associação Votuporanguense de Ciclismo) organiza hoje, a partir das 13h, o evento “24 horas de Ciclismo”. O local utilizado será a ciclovia do Parque da Cultura.
A inauguração de um local propício em Votuporanga para os amantes do esporte sobre duas rodas foi o que motivou a associação a retornar com o evento, que aconteceu de 2005 a 2008, quando era realizado na praça São Bento.
Uma premiação para quem andasse 12 horas ininterruptas foi um dos auges do evento, quando o vencedor ficou das 7 da noite até 7 da manhã pedalando. “Na época a gente não tinha espaço adequado, na praça ficou muito apertado e resolvemos parar”, explica Décio Guimarães Neto, presidente da Avocicli.
A ideia do evento é fazer as pessoas pegaram o gosto em pedalar. “O ciclismo é viciante”, admite Décio. Para não deixar os ciclistas pararem por nem um minuto até as 13h de domingo, Décio e os demais integrantes da Avocicli estão organizando os horários dos ciclistas. “Caso ninguém apareça no horário combinado, a gente sobe na bicicleta e pedala um pouco mais. A ideia é não deixar a ciclovia parada”, conta.
Décio já planeja a realização da segunda edição para o meio do ano de 2017. “Queremos colocar um chip para ver quem consegue pedalar mais tempo e também colocar premiações”, conta Décio.
Nesta edição está previsto o sorteio de brindes de ciclismo, que serão distribuídos aos que doarem um litro de leite. As doações serão repassadas a casa de acolhimento do pacientes do Hospital de Câncer de Barretos. O evento é uma realização da Avocicli e da Prefeitura de Votuporanga.

Família
O ciclismo é mais do que um esporte. Ele serve para unir famílias, conectar grupos de amigos e transformar pessoas sedentárias em atletas competitivos; e exemplos do benefício do esporte na vida das pessoas não faltam.
Motorista de van escolar, Ricardo Ribeiro de Carvalho tem o ciclismo como esporte há uma década. Há três anos, ele resolveu levar para pedalar o filho, também Ricardo, na época com oito anos.
No começo o garoto não aguentava andar muitos quilômetros e contava com a ajuda do pai, que o “guinchava”. “Com o tempo ele foi acostumando”, conta Ricardo. Ao ver o desempenho do filho em cima da bike, a mulher de Ricardo, a professora Rosana Duran de Carvalho também se animou e resolveu acompanhar os dois.
Hoje em dia, os três desbravam as estradas da região em família “É uma terapia, relaxa, descansa a mente e o espírito, tira o stress do dia a dia. É um exercício para o corpo e a mente”, diz Ricardo.
Para o atleta amador, o ciclismo ajuda também a mulher e o filho a saírem um pouco da frente do computador e aproveitarem a vida unidos. “Com a bicicleta, interagimos mais, conversamos sobre o nosso cotidiano e aproveitamos para ficarmos juntos”, conta.

Amigos
Há um ano (comemorados com uma festa na última sexta-feira) as mulheres do grupo de ciclismo Divas da Bike Terra resolveram se unir para pedalar pelas ruas e estradas de terra de Votuporanga.
Capitaneadas pela dona de casa Maria Aparecida dos Santos, as 50 amigas se transformaram em uma verdadeira família. “Somos muito companheiras. A gente conversa, dá risada. Não nos separamos nunca mais”, afirma.
O Divas da Bike, que tem até página em rede social, é derivado do grupo Bike Terra, criado por Maria Aparecida e pelo marido dela, Aparecido Estevão dos Santos, o Cido. Idealizado há sete anos, hoje em dia o grupo tem mais de 100 pessoas.
O ciclismo faz parte até da vida afetiva de Maria Aparecida. Ainda solteira, ela conheceu Cido andando de bicicleta. Entre uma pedalada e outra, os dois começaram a namorar e depois se casaram. “São 23 anos juntos”, diz.

Elite
Quando começou a pedalar, a auxiliar administrativa Viviane Hara, de 34 anos, não era praticante de esporte algum. “Era totalmente sedentária”, afirma. Convidada por uma amiga, em maio de 2014 ela começou no esporte. “Sofri no começo, mas depois peguei o jeito”, recorda.
Se no início Viviane pedalava apenas duas vezes por semana, hoje ela treina todos os dias da semana. Nos treinos de domingo, por exemplo, ela percorre de 80 a 100 quilômetros. “Perdi 10 quilos nesse período e o condicionamento físico é muito melhor”, conta. De sedentária Viviane se transformou em atleta de elite do mountain bike, categoria do ciclismo no qual ela resolveu se especializar.
Com o esporte, a ciclista já viajou para inúmeras competições, em Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Catanduva e até fora do estado, em Três Lagoas (MS). Tudo isso com o apoio de patrocinadores que custeiam a bicicleta, academia, uniforme, viagens e inscrições para as competições que Viviane disputa.
A vida mudou tanto que Viviane não pensa nas costumeiras festas de fim de ano, onde abundam as ceias com comidas que engordam, as bebidas e o ócio. “Vou usar esse tempo vago no fim do ano para focar nos treinos e começar 2017 ainda melhor nas competições”, ressalta.

Anúncio
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Destaques

Santa Casa recebe doação de 153 quilos de abóbora

Diretamente de Tanabi, as colaborações vieram de um produtor rural e um grupo de amigos

A solidariedade realmente não tem fronteiras. Nos momentos mais difíceis, como da pandemia do Coronavírus (COVID-19), a empatia e o amor ao próximo são maiores do que qualquer doença.
A Santa Casa de Votuporanga recebeu doação de 153 quilos de abóbora. O produtor rural de Tanabi, Werinto Rodrigo Quiles Rodrigues, ajudou o Hospital juntamente com um grupo de amigos. “Em virtude do novo vírus, muitas pessoas estão em isolamento em casa, o que dificultou as minhas vendas e de um grupo de agricultores neste mês. Pensei em colaborar com entidades e direcionamos para a Santa Casa”, contou Werinto.
Ele disse ainda que, entrou em contato com o Setor de Captação da Instituição. “Ficamos muito felizes de ajudar o Hospital, que atende toda a região”, afirmou.
As abóboras foram destinadas para o Serviço de Nutrição e Dietética da Santa Casa, responsável pelo fornecimento de 1.700 refeições diárias a pacientes e acompanhantes. “Nosso muito obrigado para Tanabi. Nossos assistidos sentirão o amor e a solidariedade de vocês, durante os dias internados. São ações assim que nos motivam ainda mais a manter nossos atendimentos com qualidade e humanização”, afirmou o provedor Luiz Fernando Góes Liévana.

Continuar Lendo

Destaques

Docente da UNIFEV orienta sobre métodos de estudo em casa

Prof. Me. Anderson Bençal Indalécio deu dicas sobre como manter a produtividade em tempos de isolamento social

A necessidade de permanecer em isolamento social para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de trabalho e de estudos da maioria dos brasileiros. Na UNIFEV, com o início das férias antes do previsto, os universitários têm utilizado a tecnologia como aliada para a continuidade de pesquisas e revisão de conteúdos

Como é o caso do estudante Hiago Rodrigues de Oliveira, 19 anos, do 5º período do curso de Direito da Instituição, que com a suspensão das aulas presenciais, desenvolveu o seu próprio método de estudos. Para que o seu ritmo de universitário fosse mantido, ele estabeleceu horários regrados para pesquisas e leituras de temas relacionados a sua área.

“Apesar de lamentar a paralisação das aulas, é uma pausa válida para que todos os conteúdos sejam repassados detalhadamente. Atualmente, temos acesso a uma variedade muito grande de fontes de informação, o que facilita bastante na hora de complementar alguma teoria. Um dos materiais que tem me ajudado bastante é o acesso à biblioteca virtual Saraiva Jur, disponibilizada pela UNIFEV. Por lá, consigo encontrar doutrinas atualizadas”, disse.

Para quem assim como o estudante, está cercado com muitas informações, o docente da Instituição, Prof. Me. Anderson Bençal Indalécio, separou dicas valiosas, para tornar o período mais proveitoso. “Quando estamos em casa nossa motivação para realização de atividades de pesquisa e leitura tende a diminuir. Esse cenário normalmente é agravado quando dedicamos muito tempo para acessar recursos de entretenimento, como por exemplo games, redes sociais e televisão”, destacou.

Para fugir dessas armadilhas, Bençal detalha algumas ações que podem fazer a diferença para quem está em busca de foco durante o isolamento social. “Por meio de iniciativas simples é possível aproveitar o tempo livre para se aprimorar, basta ter atitude e criatividade”.

Crie uma rotina e disciplina para estudar

Estipule uma rotina equilibrada com horários para cada atividade, definindo quais serão os momentos do seu dia destinados ao lazer e aos estudos. “Desligue a televisão e deixe seu celular em modo avião. Foco é muito importante para compreensão dos conteúdos estudados”, completou o docente.

A dica do professor é reservar no mínimo quarenta minutos de leitura pela manhã, quarenta minutos de pesquisa no período da tarde e quarenta minutos de leitura no período noturno, que somará ao final de uma semana 14 horas de atividades.

Estabeleça metas

Implante metas ou objetivos que condicionam o engajamento e estimulam a motivação com pequenas conquistas. “Fazer a leitura de um capítulo de livro por dia, pesquisar artigos relacionados aos assuntos de seu interesse e estudá-los no período de até dois dias, terminar a leitura de um livro dentro de uma semana, são exemplos de metas viáveis e significativas para manter a produtividade”, ressaltou.

Use os recursos tecnológicos a seu favor

Em tempos de isolamento social o acesso às bibliotecas ou o encontro com colegas para discutir tópicos importantes sobre disciplinas ficaram comprometidos. Para Bençal, na era da informação em que vivemos, os recursos tecnológicos surgem para romper as barreiras físicas.

“As ferramentas de busca disponíveis na internet, como GoogleYahoo e Bing ampliaram as possibilidades de acesso à informação. Em um clique, podemos visitar bibliotecas e acervos de conteúdo das maiores universidades do mundo, assistir palestras de grandes especialistas em diversas áreas, por meio de plataformas como o YouTube e o TED Talks”, disse.

Para a pesquisa de artigos científicos, o docente indica as seguintes plataformas: scielo.brscholar.google.com.brperiodicos.capes.gov.br; e bdtd.ibict.br/vufind.

Selecione o seu conteúdo

É preciso entender que nem todos os sites da internet são confiáveis, uma vez que qualquer pessoa pode compartilhar informações como bem entendem, com isso o risco de acesso a conteúdos ilegítimos é maior.

“É importante utilizar sites vinculados à instituições sérias e renomadas. Os blogs, por exemplo, geralmente disseminam informações sem base científica, portanto prefira artigos científicos publicados para trabalhos de cunho acadêmico. Além disso, utilize livros para estudar conceitos clássicos do seu campo de estudo. Atualmente, é possível encontrar muitos materiais em formatos digitais de E-Book ou Pdf”.

Reuniões online

Reunir-se com os colegas para trocar ideias e sanar dúvidas sobre os conceitos que os professores trabalharam em aula é uma excelente oportunidade de aprendizado. As restrições com relação aos encontros presenciais podem ser superadas por meio de recursos digitais, como o Google Hangouts, grupos de WhatsApplives no Instagram ou Facebook.

Cursos na modalidade Educação a Distância (EAD) e jogos infantis

A UNIFEV abriu seu acervo com mais de 30 jogos e 20 cursos online para alunos e para a comunidade em geral, de forma totalmente gratuita. O incentivo é uma forma de apoio para as pessoas permanecerem em casa, em razão da pandemia do novo coronavírus. Os conteúdos podem ser acessados pelos links: unifev.edu.br/cursosgratis (cursos) e unifev.edu.br/jogosgratis (jogos).

Bibliotecas virtuais

Os estudantes do Centro Universitário de Votuporanga podem complementar suas pesquisas, por meio de duas plataformas disponibilizadas pela Instituição: A Biblioteca Virtual Universitária (BVU) da Pearson e a Saraiva Jur. A plataforma da Pearson, por exemplo, oferece mais de 4 mil títulos, com obras que abordam diversas áreas do conhecimento, tais como Administração, Direito, Educação, Enfermagem, Engenharia, Gastronomia, Letras, Marketing e Medicina, entre outras. Já a Saraiva Jur é direcionada às áreas de doutrina, legislação e concursos, oferecendo livros a profissionais e estudantes de Direito.

Continuar Lendo

Coronavírus

Votuporanga tem contaminação comunitária e médico alerta: fiquem em casa

O médico responsável pela rede de urgência e emergência do município de Votuporanga, Dr. Chaudes Junior, informou numa live no Facebook nesta sexta-feira, dia 03, que estamos na fase que o vírus já está circulando pela cidade, ou seja, há transmissão comunitária de coronavírus em Votuporanga.

Esse tipo de transmissão ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção por ter se alastrado aleatoriamente. É diferente da transmissão local, quando se sabe quem passou o vírus a quem.

A transmissão sustentada é o terceiro e último estágio epidemiológico. Faz com que as autoridades elevem o nível de alerta e adotem medidas de maior restrição.

A cidade contabiliza três casos confirmados para Covid-19 e 65 casos suspeitos. Conforme apuração da Folha Regional em uma funerária, duas pessoas morreram com síndromes respiratórias nos últimos dias: 1 homem de 64 anos e 1 mulher de 57.

Continuar Lendo

Populares