Ligue-se a nós

Folha Economia

20 Formas fáceis de poupar dinheiro

Conheça algumas dicas práticas para conseguir poupar, sem grandes sacrifícios. 

Existem muitas regras e dicas para começar a poupar, ter dinheiro para uma emergência, ou mesmo para se divertir sem rebentar com o orçamento, nem cair num acumulado de dívidas que não o deixam dormir

Utilize contas diferentes

Um dos truques usados por quem aprendeu a poupar passa por manter manter uma conta poupança num banco diferente daquele onde tem a conta corrente. Dessa forma, não vê suas poupanças sempre que entra na sua conta que usa no dia-a-dia e não se sentirá tentado a tocar nesse dinheiro.

Tire partido do orçamento para concretizar os seus sonhos

O orçamento familiar não tem que ser feito apenas para certificar-se de que paga todas as contas a tempo e horas. Esta ferramenta pode ajudá-lo a planear e a concretizar os seus sonhos, como uma viagem de férias ou a compra de um automóvel novo.

Não compre por impulso

Esta é uma das regras de ouro das finanças pessoais: Compre apenas o que pode pagar e o que realmente precisa. Não se esqueça de que mesmo que um produto lhe pareça ser um bom negócio, isso não significa que deva comprá-lo.

Faça agendamentos automáticos

Uma das formas mais fáceis de poupar passa pelo agendamento automático de transferências. Ou seja, pode dar uma ordem para que no início de cada mês seja transferido um determinado montante para uma conta poupança.

PUBLICIDADE

Se é distraído adira aos débitos diretos

Muitas pessoas pagam as suas contas fora do prazo por distração. Para evitar esta situação, adira aos débitos diretos: é uma boa forma de evitar esquecer-se dos limites das datas de pagamentos das suas contas e, assim, não fica com os serviços cortados e nem sujeito ao pagamento de multas.

Utilize apps e softwares para controlar o seu orçamento

Existem diversas aplicações que pode instalar no seu telemóvel e softwares informáticos (como o Boonzi) que podem ajudá-lo a monitorizar os seus gastos ao longo do mês. É uma forma simples e automática de conseguir controlar as suas finanças.

Guarde dinheiro para fazer algo que gosta

Poupar não tem de ser sinal de sacrifício ou de contenção absoluta. É saudável e aconselhável que preveja no seu orçamento mensal uma parcela destinada a atividades de lazer e diversão.

Salde a dívida do cartão de crédito

Nem sempre um consumidor incorre no pagamento de juros pela utilização do cartão de crédito. Isto porque existe um período de crédito gratuito, durante o qual o consumidor se pagar a totalidade da dívida do cartão não lhe serão cobrados juros. Este período varia consoante a data em que o consumidor realizou um pagamento e a data limite definida para o pagamento do montante utilizado, mas pode ir até aos 50 dias.

Anda à procura de preços mais baixos? Subscreva as newsletters das suas marcas favoritas

Se para si as palavras “descontos” e “promoções” soam como música para os seus ouvidos, então deve subscrever as newsletters das suas marcas favoritas. É uma forma de estar a par das campanhas promocionais que as lojas fazem ao longo do ano.

Esteja em sintonia com a sua família

O dinheiro pode ser um grande foco de discussões entre um casal, principalmente quando cada membro tem uma perspectiva diferente sobre o dinheiro e a gestão das poupanças. Por isso mesmo, é fundamental que o casal se sente e converse sobre os temas financeiros e defina objetivos sobre a forma como o dinheiro será aplicado.

Não se esqueça do fundo de emergência

Ter uma poupança reservada para ser usada em caso de emergência financeira (uma avaria no carro, uma situação de desemprego ou uma doença) é fundamental para garantir o equilíbrio das finanças da família.

Dê um bom exemplo aos seus filhos

Introduza desde cedo os seus filhos a conceitos como a importância da poupança e o valor do dinheiro. Atribua-lhes uma semanada ou mesada e deixo-os gerir este valor. E, muito importante, dê um bom exemplo: De nada vale estar a falar sempre na poupança se no seu dia-a-dia tem hábitos consumistas.

Cuidado com as duplas contratações de coberturas nos seguros

Muitas vezes, sem saber, há pessoas que têm mais do que um seguro que cobre o mesmo risco. Acaba por estar a pagar duas vezes sem necessidade, uma vez que as indemnizações não são cumulativas. Por isso mesmo analise bem as coberturas dos seus seguros.

Analise e compare antes de comprar

Hoje em dia, e com o recurso à internet, consegue-se rapidamente saber qual é o custo de um produto em vários estabelecimentos e identificar onde é que ele é mais barato. Sites como o KuantoKusta é um desses exemplos. Tire maior partido dos sites comparadores de preços para fazer as melhores compras para a sua carteira

Defina objetivos

Não basta poupar. É preciso definir os seus objetivos de poupança de longo prazo na ordem certa.

Use o sistema do envelope

É um truque antigo, muito usado nas gerações passadas, mas que pode manter a sua eficácia nos dias de hoje. Use o sistema do envelope. Retire o dinheiro da conta e coloque-o em envelopes, repartidos para objetivos diferentes (pagar contas correntes, pagar a alimentação, poupar, etc).

Peça ajuda, se a sua situação financeira se degradar

Não arraste problemas, nem dívidas. Se notar que está a ter dificuldades em cumprir com os seus encargos financeiros, fale com as instituições credoras e tente negociar um plano de pagamentos ajustado. Caso contrário poderá incorrer no pagamento de juros de mora, o que agravará ainda mais a sua situação financeira.

Não menospreze as pequenas despesas

Os jornais, os cafés, um lanche num restaurante, ou uma ida ao cinema. Tudo isto são exemplos de pequenas despesas que, isoladamente, são facilmente acomodadas na maioria dos orçamentos. O problema é que muitas vezes estas pequenas despesas podem ter um forte impacto nas contas mensais de uma família. Por isso mesmo, é fundamental controlar estes pequenos gastos.

Opte por um estilo de vida mais frugal

Ser frugal não significa que tenha de deixar de fazer aquilo que gosta por questões financeiras. Passa antes por encontrar soluções alternativas para fazer o que se gosta sem gastar muito dinheiro.

Nas compras de supermercado

A alimentação é uma das áreas em que é mais difícil cortar custos. Mas há pequenos truques que pode implementar para evitar que a conta do supermercado derrape. A saber: deve fazer sempre uma lista de compras antecipadamente, não deve ir às compras com fome; as compras devem ser semanais e, se possível, opte por levar um cesto em vez de um carrinho de compras.

Por: Virgínia Alves | Dinheiro Vivo

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Publicidade

Folha Economia

Como economizar nas viagens de férias?

O momento é ideal para viajar e aproveitar as altas temperaturas com atividades relaxantes e divertidas, no entanto, tem sido ameaçado para muita gente pela crise econômica do país. Se o rendimento anda baixo e as contas estão cada vez mais altas, é hora de abrir mão da viagem de férias, certo? Errado! Com muito ou pouco dinheiro, você pode aproveitar seus dias livres em locais diferentes sem gastar muito. Hoje vamos dar algumas dicas para que você realize sua viagem de férias do jeito que cabe no seu bolso!

 

1. Opte por destinos econômicos

 

Na hora de escolher um destino para viagem de férias é bem comum que os locais mais caros sejam os mais tentadores. No entanto, com uma busca mais aprofundada você pode descobrir locais paradisíacos onde você não precisa gastar muito para se divertir. Para quem busca destinos internacionais, uma opção é viajar pela América do Sul. Além de oferecer destinos culturalmente ricos, grande parte dos países trabalha com moedas em que o câmbio em relação ao real se torna favorável. Assim, a economia fica muito maior!

 

Já, se você está buscando destinos dentro do Brasil, a vantagem em relação às passagens e planejamento já diminuem os gastos. Para tornar a viagem ainda mais econômica, busque opções de hospedagem e alimentação mais baratas. Nas principais cidades turísticas do Brasil existem hostels com preços super econômicos e com alta qualidade. Você pode aproveitar o clima para conhecer novos amigos e trocar experiências com pessoas de todo o mundo.

 

2. Planeje-se com antecedência

 

Quem viaja frequentemente já sabe: antecedência garante bons descontos na sua viagem. Desde as passagens aéreas até a hospedagem ou tickets para passeios, quase todos os serviços ligados a viagens oferecem vantagens para quem se planeja meses antes de colocar o pé na estrada. Arquitetar uma viagem com tempo possibilita também mais dias para fazer uma pesquisa aprofundada e encontrar serviços mais em conta ou que lhe agradam mais.

PUBLICIDADE

 

Planejar a viagem com antecedência, no entanto, não significa reservar todas as passagens e hotéis nos primeiros dias de busca. Os preços desses serviços costumam variar frequentemente, abrindo promoções inesperadas. Por isso, monitorar sites de vendas de passagens aéreas e de reservas de hotéis alguns meses antes da viagem é uma forma de observar as variações de preço e adquirir o seu lugar no dia que a oferta compensar para você.

 

3. Alimentação

 

O gasto com comida em uma viagem normalmente é o mais incerto. Ao mesmo tempo em que as passagens aéreas e a hospedagem já têm valores definidos antes de chegar ao destino, normalmente os gastos com alimentação costumam ser apenas projeções no planejamento da viagem. No entanto, a gastronomia é parte importante da cultura de um lugar e, por isso, não deve ser deixada de lado. Por esse motivo, nada de comer só fast food para economizar. Quase todos os destinos do mundo oferecem opções de comidas típicas de forma mais descontraída e o melhor: mais barata.

 

Na hora de conhecer a gastronomia de um lugar, algumas dicas são bastante importantes. Para começar, jamais faça um pedido antes de saber o quanto você vai gastar com a refeição. Vale pedir o cardápio antes e conhecer o valor do prato antes de ordenar. Se não couber no seu bolso, não sinta vergonha em deixar o restaurante e procurar uma opção mais econômica.

 

Para encontrar locais mais baratos, busque pontos que não estão tão próximos aos principais espaços turísticos de uma cidade. Por exemplo, é bem provável que um restaurante beira mar cobre mais do que um restaurante localizado há algumas quadras da praia. Evite também pedir comida no hotel: o serviço costuma ser muito mais caro do que comprar algo em um mercado e levar para comer, por exemplo. Nos hostels, você tem a opção de cozinhar. Então, se você deseja economizar em uma das refeições do dia para gastar mais na outra, vale preparar sua própria refeição no local.

 

4. Estipule limites

 

Seja para alimentação, passeios, presentes ou atividades: estipular um limite diário de dinheiro a ser gasto é essencial para não fugir do planejamento. Quando você tem um limite, é mais fácil controlar o gasto final da viagem, uma vez que – caso o limite não seja ultrapassado – o valor total representará a soma de todos os dias. Então, se você vai fazer uma viagem de 10 dias e tem R$100 para gastar diariamente, você pode utilizar mil reais em toda a sua viagem.

 

A vantagem em estipular esse limite é que você não precisa se privar por causa do valor predeterminado. Se você deseja almoçar em um local mais caro, basta compensar o gasto em um jantar mais econômico. O mesmo vale para passeios e compras. Se em algum dia você gastar menos do que o seu limite, basta utilizar o dinheiro restante em outro dia da viagem.

Por: Equipe Organizze | Finanças Pessoais

PUBLICIDADE

Continue Lendo

Folha Economia

Quem são os vilões do orçamento?

Despesas pequenas do dia a dia podem ser as grandes culpados por você ter aquela impressão de que o seu dinheiro simplesmente desaparece

Quando você se depara com o seu orçamento e vê que há contas que não pode deixar de pagar, a tendência é pensar que elas são as grandes vilãs, mas nem sempre é assim!

As contas grandes, como o aluguel ou prestação do imóvel, ou aquelas que são obrigatórias, como energia elétrica, água, gás, internet etc., nós conseguimos enxergar e sabemos que não há como fugir. Porém, as despesas pequenas do dia a dia, os chamados gastos arbitrários, nós não damos muita atenção e, por causa disso, eles podem ser os grandes culpados por você sentir aquela impressão que o seu dinheiro simplesmente desaparece.

É o filho que pede 5 reais, o lanche que você faz na rua e lá se vão mais R$ 15, o cafezinho nosso de cada dia que leva mais uns 3 ou 4, enfim… Só nessa brincadeirinha do nosso exemplo foram gastos mais de R$ 20 fácil, fácil.

Agora imagine só o estrago que esses R$ 20 podem fazer no seu orçamento ao longo do ano! Vamos fazer as contas? Para que você não caia de costas, vamos usar um exemplo bem pequeno, está bem?

Imagine que você gaste apenas R$ 5 por semana comendo alguma coisa na rua de segunda a sexta. Esse gasto seria o equivalente a apenas R$ 1 por dia, o que todo mundo considera bem pouco.

Só que além de comer na rua, digamos que você gaste mais R$ 20 por fim de semana para fazer um lanchinho especial em casa mesmo. Vai contando!
Daí o seu filho pede R$ 2 todo santo dia e, como ele precisa para uma coisa ou outra, você dá. Então, vejamos o que você gastaria em uma semana:

Comidinhas na rua: R$ 5
Lanche de fim de semana: R$ 20
Dinheiro para o filho: R$ 14
Total: R$ 39

 

Agora vamos às contas a médio e longo prazo:
o R$ 39 por semana somam R$ 156 por mês
o R$ 156 por mês somam R$ 1.872 por ano
Em 3 anos, você teria gasto R$ 5.616
Em 5 anos, você teria gasto R$ 9.360
E em 10 anos, você teria gasto incríveis R$ 18.720!

A ideia de fazer esse tipo de conta não é que você pare de comer e não dê mais um tostão para o seu filho! O que você deve fazer é prestar mais atenção a esses gastos pequenos, pois, pouco a pouco, eles levam boa parte do seu dinheiro sem que você se dê conta.

A dica é que você anote todos os seus pequenos gastos do dia a dia e veja se eles não necessários, se você realmente precisa deles ou se tem gastado apenas por costume.

PUBLICIDADE

Se há gastos que não fazem mais sentido, economize neles e vá guardando esse dinheiro. Se você fizer isso daqui para frente, ao longo de um período poderá ter uma reserva bem interessante para poder realizar os seus desejos. Então, mãos à obra!

Fonte: R7 | Por Patricia Lages

PUBLICIDADE

Continue Lendo

Folha Economia

10 dicas para economizar dinheiro no dia a dia

Você deve ver top 10 de dicas para tudo na vida, certo? Para economizar dinheiro existem milhares de tutoriais espalhados pela internet e é incrível ver quantas coisas poderíamos mudar para ter mais dinheiro guardado, em quantas coisas nós gastamos dinheiro como se nunca fosse acabar. Nesse post, você vai conferir 10 dicas para economizar dinheiro na sua rotina e garantir um trocadinho livre a mais no final do mês.

1. Anote tudo que você gasta no seu dia

Sim, tudo, não deixe passar nada. Tenha sempre contigo uma agenda ou o próprio bloco de notas do celular. Separe todas os seus gastos, informe qual cartão você usou, se foi pago em dinheiro vivo, débito ou crédito, se foi parcelado, tudo mesmo.

No primeiro momento você vai se chocar, pois em um único dia a gente consegue gastar muito com almoço, imprevistos, um docinho no final do dia, uma coisa pra casa que você acreditava precisar e etc.

2. Adie grandes compras

A gente sempre acha que precisa de um produto e já sai comprando, não consultamos preciso, não pensamos em outras alternativas, apenas achamos que é uma necessidade e pagamos muitas vezes um preço alto.

3. Dia “Zero”

Escolha um dia da semana para ser seu dia zero gastos, não abrir a carteira significa economia garantida. Organize no calendário um dia por semana e cumpra essa meta.

4. Pagamento caiu, pague!

Coloque todas as suas contas fixas para o dia seguinte do seu pagamento, além de evitar atrasos, você consegue observar o que sobra para as demais despesas.

5. Em casa mesmo

Chame seu amigos para ir na sua casa como alternativa para aquele barzinho. Você mesmo cozinhar, todo mundo colaborar com o supermercado do evento sai muito mais barato do que ir em um restaurante, ou bar, e vamos confessar não é? Muitas vezes é mais gostoso.

6. A famosa marmita

Por que não levar comida de casa para o trabalho? Comer fora todos os dias sai muito caro e nem todo mundo recebe vale refeição, que é um dinheiro próprio para isso. Levar comida de casa muitas vezes é uma alternativa saudável para o seu corpo e para o seu bolso.

7. Foco nos descontos

Existem sites que oferecem cupons de descontos para refeições. Quando você faz pagamentos à vista, muitas vezes é oferecido até 10% na compra. Não é vergonha nenhuma perguntar sobre.

PUBLICIDADE

8. Lista de compras

Quando for ao supermercado faça sempre uma lista com tudo que verdadeiramente necessita e não fuja disso. Pesquise possíveis descontos em produtos também.

Outra coisa, essa lista de compras serve também para hora de comprar suas roupas. De uma olhada do que tem no guarda-roupa e compre apenas aqui que precisa.

9. Emprestado não sai caro

Você não tem roupa para uma festa, e já quer comprar algo novo para ter um único look e usar apenas um dia. Que tal pedir emprestado? Sempre temos um amigo, parente, alguém que possa nos ajudar.

10. Lazer de graça

Existem vários eventos gratuitos em nossas cidades, peças de teatro, exposições, sessões de cinema, programas ao ar livre. É só pesquisar bem e encontrar o lazer ideal para você.

São dicas tranquilas para economizar dinheiro, não é? Teste e conte para nós se algum tópico, ou todos, te ajudou a economizar.

Fonte: Serasa Consumidor – Fernanda Araújo

PUBLICIDADE

Continue Lendo

POPULARES